Agespisa nega atraso de salários

0
28

Hoje, por volta de das 13 horas, um ouvinte liga para a Teresina FM, no Jornal do Meio Dia, ancorado pelo jornalista Bartolomeu Almeida, e denuncia que os salários dos servidores da Agespisa estão atrasados e que a empresa, mergulhada numa crise, teve sua energia cortada e ficou com seus telefones mudos.

Ouvimos a denúncia e procuramos checar. Ligamos para o Sindicato dos Urbanitários, mas não havia nenhum diretor que pudesse dar alguma informação. O funcionário de nome Williame nos passou o celular do senhor Francisco Ferreira, representante do Sindicato na empresa, mas não conseguimos contato com ele.

Ligamos para a Assessoria de Comunicação da Agespisa e fomos atendidos pela jornalista Rosalina Ferreira que desmentiu a informação classificando-a de boato. “A empresa está funcionando normalmente”, disse, acentuando que tanto a energia como os telefones estão normais. “O pessoal da Teresina FM também me ligou e eu disse a mesma coisa”, acrescentou.

Rosalina Ferreira garantiu que tanto a folha de pessoal da Capital como dom interior está em dia, inclusive o pagamento dos prestadores de serviço. “Eu, por exemplo, sou prestadora de serviço e recebi meu pagamento na quinta-feira passada”, enfatizou.

No início deste mês, no entanto, a Agespisa estava com os salários atrasados e o Sindicato dos Urbanitários promoveu uma manifestação de protesto no pátio da empresa, no último dia 09, fato este registrado em matéria postada no site do Sindicato:

“Já estamos no sexto dia útil do mês e a Agespisa ainda não pagou o salário dos funcionários da empresa na capital, apenas o pagamento dos servidores das regionais – sem os benefícios – e de comissionados, foram debitados. Por conta disso, os trabalhadores realizam, esta manhã (9), ato de protesto na sede da empresa reivindicado o pagamento.”

Mais na frente o portal do Sintepi acrescenta que “Durante o ato mais uma prova da incompetência da gestão da empresa e do Governo do Estado aconteceu: a energia da empresa foi cortada por falta de pagamento o que demonstra, mais uma vez, a irresponsabilidade e falta de compromisso deste (DES)Governo.”

Os urbanitários acusam o governo do Estado de ter privatizado os serviços na Capital prometendo melhorias, mas “o que agora fica claro que não passou de falácia e engodo para ludibriar a população”.

Deixe uma resposta