Centro Dia: apoio na rotina das famílias de crianças com microcefalia em Teresina

0
55
Crédtito: Ascom/FMS

Esperar a chegada de uma criança é uma das grandes alegrias que uma família pode ter, muitas vezes só sendo superada pelo próprio nascimento do bebê. Mas, em muitos casos, a felicidade e a ansiedade da chegada podem se transformar, inicialmente, em choque e preocupação, ao se descobrir algum tipo de deficiência na fase de desenvolvimento inicial da criança. Foi o que aconteceu com Suelane Lima, de 28 anos, com seu filho Arthur Levi.

Aos cinco meses de gravidez, durante os exames de pré-natal, ela, que é natural de Parnarama, no Maranhão, recebeu uma notícia que mudaria completamente sua vida. O pequeno foi diagnosticado com microcefalia, uma condição neurológica rara em que a cabeça e o cérebro da criança são menores que o normal para a sua idade. O cérebro não cresce o suficiente durante a gestação ou até mesmo após o nascimento, causando a má formação.

Após o diagnóstico, o grande medo de Suelane era que o pequeno Arthur fosse, para sempre, uma criança dependente e que a família não pudesse arcar com as despesas do tratamento dele. “Nós morávamos no interior do Maranhão, e a gente sabe que lá não tem muitas oportunidades de tratamento para nós. E a situação era mais complicada porque eu não trabalhava, era dona do lar, apenas meu marido trabalha. Então, viemos para Teresina, e fomos primeiro ao CEIR. De lá, fomos encaminhados para o Centro Dia Saber Cuidar. E hoje estamos morando aqui em Teresina somente por causa dele, uma mudança total de vida”, conta Suelane.

Ela conta, no entanto, que a grande transformação na vida dela e da família não foi a mudança de cidade, mas sim a mudança de mentalidade, de paradigmas, de olhar sobre as outras pessoas e sobre si mesma. “O Arthur mudou muito a minha vida, hoje vivo para ele. Eu pensava que quando eu tivesse um filho seria de outra forma, que eu iria trabalhar para ser mais independente e sustentar a criança, mas com ele é tudo diferente; é uma atenção e um amor integral e isso me transformou como ser humano”, revela.

Suelane conta que quando precisa resolver algum problema pessoal, sabe que pode contar com o auxílio do Centro Dia “Saber Cuidar”. “Como aqui tem cuidadores durante o dia inteiro, posso deixar ele e ficar tranquila para resolver outras demandas pessoais. Nesse tempo todo que eu estou aqui, percebi a evolução dele. Hoje, ele já fala, sabe o nome de todos, brinca com todo mundo. E cada evolução dele é uma alegria para a família toda. E o próximo passo dele é aprender a caminhar, que é a grande dificuldade dele. Mas com fé em Deus ele vai conseguir, vai ser uma conquista para todos nós”, projeta Suelane.

Além da Suelane e do pequeno Arthur, pelo menos outras 51 famílias são atendidas no espaço. Lá, são acompanhadas crianças de 0 a 6 anos de idade. São promovidas também atividades lúdicas e cuidados para o desenvolvimento infantil; apoio aos cuidadores familiares sobre a autonomia nos cuidados diários; apoio na administração de medicamentos; e a realização de ações preventivas de agravos da deficiência e/ou surgimento de doenças.

“A Casa é um suporte para as famílias, como a do Arthur, tanto para promover lazer, quanto a socialização com outras crianças. No fortalecimento de vínculo da família, vemos como um todo, não apenas o usuário atendido. A cada fragilidade percebida, tratamos o tema em nossos encontros, para ajudar e compreender a demanda no exato momento”, comenta Tâmara Narrara, coordenadora da instituição.

Os encaminhamentos para o “Saber Cuidar” ocorrem por demanda espontânea, busca ativa e através da rede assistencial que existe no município. Após uma triagem, o usuário passa a ter acesso aos serviços. O espaço é administrado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), em parceria com a APAE.

“É o primeiro Centro Dia para crianças com microcefalia da capital. Na medida em que disponibilizamos esse serviço, reconhecemos toda uma especialidade e um atendimento direcionado que devem haver para as pessoas com essa deficiência. A nossa satisfação é ainda maior por ser relacionado à causa da pessoa com deficiência, algo que engrandece não apenas uma gestão, mas o ser humano que caminha com essa bandeira e é diretamente beneficiado”, pontua o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira. O Centro Dia Saber Cuidar está localizado na Rua Jaicós, nº 1265, no bairro Ilhotas. A população pode ter mais informações sobre o espaço pelo telefone (86) 3221-4611.

Fonte: Ascom/FMS

Deixe uma resposta