Encontro discute plano de gestão para museus em Teresina

0
44
Crédito: portalpmt.teresina.pi.gov.br
Técnicos e gestores da Prefeitura de Teresina se reuniram na manhã desta segunda-feira, 11, com arquitetos, artistas e engenheiros para discutir um plano de gestão para o Museu de Paleontologia que ficará dentro do Parque Floresta Fóssil e o Museu da Imagem e do Som (MIS), no Centro da cidade. O encontro aconteceu na Delegacia Ambiental que funciona dentro do Parque.
 
A reunião contou também com a presença do produtor cultural Sérgio Santos,  atuante na área de desenvolvimento de museus e exposições. “Eu ainda estou me atualizando sobre o projeto do Parque e do MIS para poder viabilizar um conceito de museu para esses dois locais. Não devemos seguir um modelo padrão. Estamos aqui para escutar as pessoas e idealizar algo que possa atender aos anseios da sociedade”, declarou.
 
Em sua apresentação, Sérgio também mostrou exemplos de grandes museus como o Museu da Natureza, existente na Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, e o Japan House, dedicado a cultura nipônica no Centro de São Paulo (SP).
 
Para a secretária executiva da SDU Centro Norte, Márcia Muniz, o encontro foi de grande importância, pois a revitalização do Parque Floresta Fóssil terá muito valor para Teresina. “A Floresta Fóssil é um parque muito importante para Teresina, pois no local existem fósseis de milhares de anos, que servem para estudos e nos ajudam a entender melhor o passado”, afirmou.
 
O museu que ficará dentro do Parque estará localizado do lado esquerdo do rio Poti, funcionando em dois blocos semicirculares a partir de um sistema estrutural de aço e concreto protendido, que se implantará de forma elevada do solo. O local irá conter um ambiente de recepção aos visitantes, área expositiva aberta em pilotis para exposições temporárias, um salão principal, duas antessalas vinculadas ao salão principal para exposições complementares, auditório e área para reserva técnica e apoio administrativo.
 
A obra, que será executada pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro Norte, via CAF- Banco de Desenvolvimento da América Latina, contará ainda com Centro de Apoio ao Visitante e um Bloco de Administração. A obra está em fase de licitação e está orçada em aproximadamente R$ 14 milhões.
 
Já o Museu da Imagem e do Som (MIS) contará com cinco pavimentos, que incluem lojas, café, cineclube, auditório, estúdio de som, laboratório de cinema, ilha de edição, midiateca, videoteca, núcleo de digitalização, restauração e catalogação, laboratório de fotografia e espaço destinado a eventos e para produção e comercialização de obras de artistas locais.
 
A obra do MIS ficou paralisada devido a não contrapartida do Governo do Estado. No entanto, a Prefeitura buscou a realização de um contrato de financiamento junto ao Banco do Brasil para dar continuidade aos serviços. A obra completa ficou orçada agora em R$10 milhões.

Fonte: Semcom

Deixe uma resposta