Crianças empoderadas mostram que consciência negra vem da infância

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email

Hoje (20), comemora-se o Dia da Consciência Negra. A data foi escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo contra o sistema escravista. Essa data marca a importância das discussões e ações para combater o racismo e a desigualdade social no país, e aborda também os progressos na luta do povo negro e sobre a celebração da cultura afro-brasileira.

E por falar em consciência negra, é fundamental, que desde criança, os pais ensinem e orientem seus filhos para que conheçam a essência da sua história e aprenda desde cedo a valorizar e a respeitar os outros. Crianças bem orientadas e educadas conseguirão fazer a diferença e mudar o final da história.É o caso de Lunara Ribeiro, mãe da modelo mirim Lunara Ribeiro da agência The was Models em Teresina Piauí e Agency May em São Paulo. A garota de 10 anos mora em Timon, no Maranhão, e é estudante de escola pública da sua cidade.”Eu ensino sempre a Lumara para que ela não dê ouvidos a preconceito pois Deus é amor e quem tem preconceito não tem Deus no coração e digo pata ela: onde você chega Lumara muitos admiram então pra que dá ouvidos a preconceito? Então isso eu ensino a ela e graças a Deus ela leva isso sem problema graças a Deus”, disse .

crédito: The was model

E reforça: “A Lumara é linda por dentro e por fora e apesar de ser muito nova, é empoderada! Tem criança que chora, fica triste por causa de preconceito, mas ela não. Desde pequena venho ensinando e mostrando pra ela que isso é coisa de gente que não tem Deus no coração”, afirmou.

Talentosa, Lumara Ribeiro tem pela frente uma carreira de modelo promissora. Ela sonha em ser uma grande e reconhecida modelo pelo seu trabalho. Já participou de alguns eventos e foi eleita mini mis Piauí em 2019.

“A história do Brasil fala das lutas que ocorreram com os negros. A consciência negra pra mim é o empoderamento das pessoas. As pessoas não podem dar ouvidos para pessoas preconceituosas, pois se der ouvidos é pior. Quem tem esse preconceito não tem Deus no coração. Por isso, as pessoas negras do passado lutaram: para que isso acabasse. A escravidão acabou, mas até hoje, tem preconceito. Eu não dou ouvidos. Só entrego nas mãos de Deus. Todos gostam de mim e me acham linda. Deus sempre coloca pessoas no meu caminho que gostam de mim e falam bem de mim. Isso que importa. As vezes uma porta se fecha, mas Deus abre outras. Quem gosta de mim, eu agradeço a Deus. Deus é muito bom pra mim. Sempre tenho apoio de meus pais”, disse a modelo mirim Lunara Ribeiro.E finalizou: “A pessoa precisa ter menos preconceito e mais amor, nao importa a raça. Todos nós somos iguais”.

Como diz Nelson Mandela: “ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor da sua pele, por sua origem ou religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar”.

Crédito: The was model
crédito: @agency.may
crédito: @agency,may

Deixe um comentário

Veja também...