Parceria inédita com o Instituto Evandro Chagas irá investigar infecções virais graves

Os exames serão para identificar infecções do sistema nervoso causadas por três vírus

0
27
Créditos: Ascom - Marcelo Vieira, membro técnico da Vigilância de Agravo com manifestações neurológicas da FMS
A Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS) firmou parceria inédita com o Instituto Evandro Chagas (IEC) para diagnóstico de infecções graves do sistema nervoso pelos vírus Epstein-Barr, Citomegalovírus e John Cunningham. Embora a maior parte das pessoas infectadas agudamente sofra repercussões mínimas ou ausentes, estes três vírus podem causar doenças neurológicas graves em indivíduos com imunidade baixa.
 
Para o presidente da FMS, Charles da Silveira, a ação demonstra o compromisso de Teresina com a saúde pública: “A nossa cidade valoriza a saúde dos usuários e o nosso objetivo maior é o de melhorar cada vez mais o atendimento. É por isso que ficamos felizes com parcerias como essa, porque o Instituto Evandro Chagas tem credibilidade e reconhecimento internacional e, a partir de agora, poderemos diagnosticar, tratar os usuários acometidos por doenças causadas por esses vírus, além de estabelecer medidas de prevenção”, afirma.
 
O neurologista Marcelo Vieira, membro técnico da Vigilância de Agravo com manifestações neurológicas da FMS, ressalta que a parceria contribuirá com a qualidade do serviço oferecido à população: “Agora, será ampliado o painel de investigação de vírus em pacientes imunodeprimidos, contemplando mais estes três vírus que, geralmente, não causam problema sérios em quem tem imunidade boa, mas que podem ter efeitos devastadores em paciente com imunidade diminuída. Com isso, será possível diagnosticar e realizar o tratamento específico do usuário na rede SUS”, afirma.
 
Ele explica que qualquer estabelecimento de saúde público ou privado conveniado ao SUS já pode solicitar os exames diagnósticos: “Após constatação da necessidade, o médico realiza a coleta do material do usuário (sangue ou líquor) que será encaminhado pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Piauí (LACEN) para o IEC. Este processo não trará ônus para o município, tendo em vista que entrará na rotina semanal de envio de amostras biológicas do LACEN”, finaliza.
Fonte: Ascom/Fms

Deixe uma resposta