Fundação Municipal de Saúde investe mais de R$ 1 milhão em aparelhos auditivos em 2018

O programa de saúde auditiva é realizado no Centro Integrado Lineu Araújo (CISLA)

0
36
Crédito: Ascom
O Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo (CISLA) mantém o Programa de Saúde Auditiva do Ministério da Saúde desde 2009. O local é responsável pela avaliação multiprofissional das pessoas com deficiência auditiva. Em 2018, foram entregues 1.368 aparelhos auditivos para os pacientes do CISLA, totalizando o investimento de R$ 1.200.000.

 
“Antes eu não notava que escutava pouco, e comecei a perceber quando assistia televisão. Percebi que só conseguia escutar direito com o volume mais alto. Desde 2014 faço tratamento aqui no Lineu Araújo e hoje consigo escutar bem”, afirma Raimunda Moraes Machado, 55 anos.
 
O Programa de Saúde Auditiva conta com profissionais como otorrinolaringologistas, fonoaudiólogos, assistente social e psicólogo, que atendem nos períodos de manhã e tarde. Segundo informa a coordenadora Cecita Amorim, o programa tem por objetivo realizar o diagnóstico e a reabilitação de pessoas que apresentam deficiência auditiva, colaborando assim para melhorar a qualidade de vida dos mesmos e reinseri-las na sua comunidade. Em 2018, 550 pessoas ingressaram no programa.
 
“A população tem acesso a aparelhos auditivos digitais de várias marcas e modelos, desde retroauriculares (que se posicionam atrás da orelha) como os intra aurais (que são personalizados e se posicionam dentro da orelha). Os tipos são indicados conforme o grau e tipo de perda auditiva e comprometimento na qualidade de vida do paciente”, conta a coordenadora Cecita Amorim.
 
Para ingressar no programa, é preciso apresentar documentos como RG, CPF, cartão do SUS, comprovante de residência, exame audiológico e laudo médico comprovando a perda auditiva. Pacientes de Teresina podem entregar esta documentação na Central do SUS. Já os pacientes do interior do estado devem se dirigir à Secretaria de Saúde do seu município e aguardar o posterior agendamento.
 
“Ao ingressar no programa, o paciente comparecerá para consultas, exames audiológicos para avaliação da sua perda auditiva e realização da seleção do aparelho auditivo que melhor se adapte ao seu caso”, explica Cecita Amorim. Uma vez recebido o aparelho auditivo, o paciente passa pelos devidos ajustes e recebe orientações da equipe. “Ele deve ainda comparecer aos retornos periódicos e reavaliações anuais para acompanhamento da perda auditiva e do funcionamento do mesmo”, finaliza a coordenadora.

Fonte: Ascom/FMS

Deixe uma resposta